Fotografia Analógica Vários lugares

Retratos de família – Pentax 645N – com filme Fuji Neopan 120

Demorou mas enfim consegui revelar e digitalizar os dois filmes Fuji Neopan 120 que usei para testar a médio formato Pentax 645N.


Estou impressionado e super feliz com a qualidade das imagens.


Sobre a Câmera: A câmera é um trambolho pesadão (4 kg) que ao disparar o obturador, faz um barulho parecido com o de um portão de cemitério batendo no meio da madrugada (hahaha), mas até isso eu adoro. Vem com uma lente clara de f/2.8 e fixa em 75mm, ideal para retratos. Tem foco automático e manual, travamento e régua de exposição, prioridade de abertura e velocidade dentre outras características. É uma maravilha de câmera, acredito que era o sonho de todo fotógrafo no final do século passado. Para conhecer mais sobre esse modelo, clique aqui.


Sobre o filme: O filme com sensibilidade de ASA 100, oferece uma fina granulação em preto-e-branco que deixa qualquer software de edição em pânico. Possui uma ampla faixa de tons cinzas, o que resulta em imagens de alto padrão de qualidade estética e artísticas. A grande dificuldade foi no processo de revelação. Como ainda não tenho como fazer isso pessoalmente, dependo dos poucos laboratórios disponíveis no mercado nacional. Optei pelo Centro Fotográfico de Belo Horizonte. Foi uma pedreira sem fim de incríveis 54 dias… ufa… com muitos emails e desaforos trocados, escaneamento dos negativos de forma incorreta, recebimento e extorno para que fizessem corretamente. Mas enfim, agora que estou postando as imagens penso que valeu a pena.


Sobre as fotografias:  É importante citar que não há nenhum tipo de manipulação digital, estão fiéis aos negativos revelados e scaneados. O tema não poderia ser outro: Pessoas, retratos são a minha vocação. Escolhi meus próprios familiares e amigos próximos, com exceção de dois clientes, os quais também considero amigos.


Confira: